Integrante

Marcelo Reis

Bacharel em Artes Cênicas pela ECA/USP e em Letras pela UNINCOR – Três Corações (MG).

 

É integrante da Cia São Jorge de Variedades, tendo atuado nos seguintes espetáculos da Cia : Fausto – J.W.Goethe – Dir. Georgette Fadel e Cláudia Schapira (2014/2017 – Indicação ao Prêmio Shell de Melhor Trilha Sonora 2014) São Jorge Menino – Ilo Krugli – dir. Rogério Tarifa (2014/2019)  Barafonda – criação e direção coletivas (2012/2014 – Indicação ao Prêmio Shell Categoria Especial 2013 pela pesquisa e criação do espetáculo), Quem não sabe mais quem é, o que é e onde está, precisa se mexer – dir. Georgette Fadel (2009/2016 – Vencedor Prêmio Shell 2010 Categoria Especial pela pesquisa e criação do espetáculo) –  O Santo Guerreiro e o Herói Desajustado – dir. Rogério Tarifa (2007/2011 – Vencedor Prêmio Shell 2009 Melhor Figurino) – Pedro o Cru, de Antônio Patrício – dir. Georgette Fadel (2006/07), As Bastianas de Gero Camilo – dir. Luis Mármora (2002/2007 – Indicação ao Prêmio Shell – 2004 – Categoria Especial pela pesquisa e criação do espetáculo)

 

Trabalhou como assistente de direção em Biedermann e os Incendiários, de Max Frisch – dir. Georgette Fadel (2001/06).

 

Colaborou como dramaturgo em O Santo Guerreiro e o Herói Desajustado e As Bastianas.

 

Fora da Cia São Jorge atuou em “A Estrada de  Wolokolamsky” – de Heiner Muller – direção de Ariel Borghi e Esther Goes – (2017/2019);  produziu e atuou no espetáculo O Assassinato de Wilhelm Reich monólogo escrito e dirigido por Marcos Davi (2007/08). Atuou também nos espetáculos: Acrobatas, de Tancred Dorst (2002) e O Novo Inquilino, de Eugène Ionesco (1999/2002), ambos sob direção de Ipojucan Pereira. A Ultima Encarnação de Fausto, de Renato Vianna – dir. Bernadeth  Alves (2000), Antes do Fim, escrito e dirigido por Samir Yazbeck (1996/97),  A Sonata Fantasma, de August Strindberg – dir. André Pink (1994/95),  Ricardo II, de William Shakespeare (1992/93) e Mauser, de Heiner Muller (1992),  ambos dirigidos por Márcio Aurélio.

 

Trabalhou como artista educador no Centro Livre de Artes Cênicas (CLAC), no município de São Bernardo do Campo (SP) de 2012 a 2014.

 

Participou do Programa Vocacional de Teatro da Prefeitura Municipal de São Paulo, como artista-orientador, de 2002 a 2010, tendo atuado em vários pontos da cidade, contribuindo com a formação e manutenção artística de diversos grupos de teatro. Foi professor de História do Teatro, na escola Incenna, durante o período de 2001 e 2002.

 

Em cinema atuou em Aranhas Tropicais, curta-metragem de André Franciolli (2005) e colaborou na criação do roteiro de Jogos, curta-metragem dirigido por Eduardo Aguilar (2006).

 

Trabalhou como produtor, repórter e editor de textos da vinheta intitulada “Povo Fala”, parte do Programa Terceiro Milênio, exibido na Rede Vida, no período de 1997 a 2000.

 

Atuou em espetáculos e eventos institucionais, da Cia. Hilária Trupe,  voltados às empresas, no período de 1994 a 1997.

 

DRT-SP: 10.934

CONTATO